Projeto Escola Zé Peão

Materiais didáticos utilizados

O PEZP dedica especial atenção ao material didático-pedagógico. Cria e elabora materiais pesquisando e avaliando materiais produzidos por outras instituições e organizações. Na linguagem, são utilizados artigos e gravuras de jornais e revistas (locais e nacionais); textos de literatura de cordel; letras da MPB e cartazes elaborados pelos alunos da Escola, tanto nas salas de alfabetização como nas de pós-alfabetização. O Projeto possui uma Biblioteca Volante (± 300 volumes) que coloca à disposição dos alunos-operários um variado acervo que reúne obras de literatura, história, geografia, política e economia, no intuito de possibilitar o contato do alfabetizando com a informação, buscando despertar-lhes a curiosidade e motivação pela leitura. Há, ainda, parcerias com outras bibliotecas locais propiciando visitas dos alunos a estes espaços visando ampliar ainda mais o acervo bibliográfico e aumentar as possibilidades de desenvolvimento da lecto-escrita e do cidadão enquanto ser capaz de gerar, produzir, criticar/avaliar e disseminar informações.

No campo da Matemática, utiliza-se o livro Alfabetização de Adultos em Ciências e Matemática que é utilizado como meio didático e de orientação básica para o trabalho docente desenvolvido nesse campo. Apesar de o conteúdo trabalhado se referir primordialmente à matemática, a obra chama atenção para importância de se considerar a alfabetização científica, isto é, fazer-se a leitura de um mundo profundamente marcado pela ciência, o que exige de nós uma ação cada vez mais condicionada pelo desenvolvimento tecnológico. Para o ensino da matemática, a escola também utiliza oábaco – instrumento milenar de contagem – como recurso didático necessário à compreensão do sistema de numeração e das operações adição e subtração.

No que se refere ao ensino dos conteúdos relativos aos conhecimentos gerais, como História e Geografia, utiliza-se mapas, globos, slides, vídeos e visitas culturaisaoPlanetário do Espaço Cultural da cidade, ao Forte de Cabedelo/PB, e ao LOGEPA(Laboratório de Geografia da Paraíba – UFPB). Também se oportunizam a ida a sessões de cinema (filmes nacionais), peças teatraisexposições de artes, entre outras, como forma de proporcionar aos alunos-operários a ampliação de seu universo cultural e de seu conhecimento do mundo.

Já no ensino de Ciências, para a discussão de temas ligados ao meio ambiente, acidentes no trabalho, doenças sexualmente transmissíveis e saneamento básico, utilizam-se aulas com profissionais das áreas afins e distribuição de cartazes, preservativos e panfletos informativos. Quanto ao trabalho com os conteúdos sociais, o Projeto emprega o vídeo e a televisão (Programa Varanda Vídeo) como recursos didáticos em sala de aula, permeando as discussões a partir de eixos temáticos, tais como: gênero, saúde, sexualidade, reforma agrária, etnia, e meio-ambiente.

Como forma de resgatar a subjetividade e sensibilidade e desenvolver a oralidade e a capacidade motora dos alunos-operários, o Projeto desenvolve trabalhos de arte-educação utilizando-se de técnicas e materiais diversos (tintas, giz colorido, mosaicos, mamulengos e o torno para modelagem de argila). Destaca-se ainda o uso de jogos didáticos nas áreas de linguagem e matemática, através do qual os alunos podem apreender conceitos e exercitar procedimentos de forma lúdica. Dentre eles alguns tradicionais e conhecidos pelos operários, tais como o dominó, o jogo de damas, o baralho e jogo de palitos. Contamos também com outros materiais didáticos confeccionados pela própria equipe do Projeto (alunos, professores, coordenadores e assessores), através de pesquisas, experimentação e resgate do conhecimento dos alunos.